Está prestes a deixar este website. Tem a certeza?

Concordo, proseguir

A minha memória mais fantástica com a Yamaha

Kenny Roberts

Kenny Roberts

Kenny Roberts é uma das figuras mais influentes e proeminentes na história dos Grandes Prémios de motociclismo. O primeiro campeão do mundo americano, "King Kenny" ganharia três títulos de 500 cc e passaria 13 anos com a Yamaha, sendo considerado uma lenda da competição AMA com várias performances memoráveis, incluindo na Indy Mile de 1975.

Kenny Roberts é uma das figuras mais influentes e proeminentes na história dos Grandes Prémios de motociclismo. O primeiro campeão do mundo americano, "King Kenny" ganharia três títulos de 500 cc e passaria 13 anos com a Yamaha, sendo considerado uma lenda da competição AMA com várias performances memoráveis, incluindo na Indy Mile de 1975.

Tal como muitos grandes pilotos de motos de GP dessa era, a carreira de Roberts começou quando era adolescente nas pistas de todo-o-terreno locais na Califórnia. No dia de Ano Novo de 1970, o jovem de 18 anos de idade fez a sua estreia profissional na competição AMA e terminou num impressionante quarto lugar. Além disso, as suas performances rapidamente o levaram a pilotar para a equipa Yamaha America com o apoio de fábrica.

Vencedor do título de Rookie do Ano da AMA em 1971, Roberts tornou-se um piloto da categoria Expert na temporada seguinte, tendo vencido a primeira corrida da categoria. Em 1973, tudo se conjugou ao conquistar o AMA Grand National Championship, com corridas em pista e todo-o-terreno.

Seguiu-se mais um título em 1974, onde também competiu com o várias vezes campeão de Grand Prix Giacomo Agostini pela liderança da Daytona 200. Participou no seu primeiro GP com uma Yamaha TZ250 na categoria TT neerlandesa, tendo conseguido a "pole position" e subido ao pódio.

Continuou a triunfar em várias séries de corridas de motos nos Estados-Unidos antes de voltar à Europa para competir nos campeonatos de GP nas categorias de 250 cc e 500 cc de pista.

Depois de vencer a corrida de abertura do campeonato na categoria de 250 cc na Venezuela, Roberts estreou-se na categoria de 500 cc na segunda prova, em Jarama, Espanha. Viria a terminar em segundo lugar, mas seguir-se-iam três vitórias consecutivas na Áustria, França e no Grand Prix das Nações em Mugello.

A quarta vitória aconteceu no GP da Grã-Bretanha, tendo sido coroado como primeiro campeão do mundo americano na prova final do campeonato, na Alemanha.Antes da temporada de 1979, Roberts ficou lesionado num acidente durante testes, o que o obrigou a faltar à corrida de abertura, na Venezuela.

Regressou para a segunda ronda na Áustria, onde conseguiu a vitória, tendo ganho quatro das cinco primeiras corridas desse ano. Conseguiu chegar à frente após uma épica batalha com Barry Sheen em Silverstone, tendo conquistado o seu segundo título.

Roberts revelou-se imparável nas primeiras corridas de 1980, tendo conseguido três vitórias consecutivas a caminho do seu terceiro título mundial. Esteve perto de conquistar um quarto campeonato em 1983, ano em que conseguiu seis vitórias, tendo perdido por apenas dois pontos para o companheiro de equipa Freddie Spencer, dos Estados Unidos, antes de abandonar a competição Grand Prix.Continuou a sua carreira como proprietário de equipa, com motos Yamaha para os pilotos como Wayne Rainey e John Kocinski, antes de construir as suas próprias motos para competir em MotoGP no início da década de 2000.

Roberts desafia todas as probabilidades ao vencer a Indy Mile

Uma das melhores corridas de Roberts aconteceu antes do seu sucesso em GP, durante a famosa Indy Mile Grand National de 1975. Antes do evento American Flat Track, a Yamaha desenvolveu um motor de competição de estrada a dois tempos, a TZ750, fixado num quadro todo-o-terreno numa tentativa de superar o domínio das Harley-Davidsons.

Roberts qualificou-se no final da grelha de partido, mas conseguiu uma performance impressionante, ao dominar a sua máquina de 125 bhp, capaz de velocidades superiores a 100 km/h, muito mais rápida do que as rivais da Yamaha.

Recuperando terreno ao longo da corrida, Roberts rapidamente chegou ao quarto lugar e a cerca de 20 metros da luta pela liderança, tocando regularmente nos fardos de palha exteriores enquanto lutava arduamente pela vitória. Na última volta, o americano tinha de diminuir a vantagem e ocupava agora a terceira posição com a dupla da Harley à frente.

Saiu com a máxima potência da última curva, ultrapassando Corky Keener e Jay Springsteen num sprint até à linha da meta para vencer apenas com meia moto de vantagem.

Até hoje, é aclamada como a melhor performance de sempre na Indy Mile e, entre todas as suas inúmeras conquistas, consolidou o lugar Kenny Roberts na história da American Flat Track.Veja este vídeo de 2009, em que Kenny Roberts regressou à Indy Mile com a icónica TZ750 para pistas de terra e animou o público com algumas voltas rápidas.

©Yamaha Motor Europe N.V. / Yamaha Motor Co., Ltd.

The information and/or imagery on these webpages may never be used for commercial or non-commercial purposes without the explicit written consent of Yamaha Motor Europe N.V. and/or Yamaha Motor Co., Ltd. Always ride in a safe manner and obey all local road laws.

#MyYamahaStory